Arquivo da categoria: Viagens

Barbados agora mais perto

Por Juliana Chap Chap Droghetti

praia em Barbados

Para quem sempre quis conhecer as ilhas caribenhas, mas achava o acesso por demais complicado, tem agora a chance de conhecer. Um novo vôo da GOL direto de São Paulo (GRU) até Bridgetown, capital de Barbados, foi recentemente inaugurado e dura seis horas.

A ilha, com uma população de 285 mil habitantes e 430 km2 , disponibiliza de diversas atrações: mergulho, surf, golf, vida noturna, boa gastronomia e hotéis de luxo que prometem conforto e tranqüilidade para aqueles que desejam descansar em praias de areia branca e mar azul transparente, além de uma natureza exuberante e corais que invadem a praia junto com a brisa que não pára de bater.

Parece o destino dos sonhos, e é. Colônia britânica até 1966, a “little England” como também é chamada, é o destino preferido de ingleses, americanos e canadenses que desfrutam de sua beleza natural por toda costa. De carro, o passeio de norte a sul dura um pouco menos de uma hora, leste a oeste, meia hora.

Por ano, Barbados – a ilha caribenha que mais recebe turistas e também a de melhor infra-estrutura – atrai aproximadamente 1,3 milhão de visitantes.

Anúncios

Copa do Mundo de 2010: É a vez da África

Por Alana Ambrosio, Alessandra Ungria, Beatriz Nascimento, Camila Saipp, Carolina Corrêa, Carolina Garcia, Carolina Sanchez, Isabela Labate, Juliana Tamdjan, Letícia Sampaio, Manuela Aragão, Maria Carolina Paz, Maria Júlia Marques, Mariana Araújo, Marianna Martins, Marta Barbosa, Nicole Lallé e Stephanie Hering.


Representando uma mudança de parâmetros nos últimos 40 anos, a Copa do Mundo deste ano será sediada na África do Sul, palco de inúmeros acontecimentos históricos como o regime de segregação racial do Apartheid. O continente africano é frequentemente associado a pontos negativos, que acabaram se tornando esteriótipos do país, como a pobreza, a fome, disputas étnicas, a epidemia de aids, entre outros. Assim, muitas pessoas associam a África de maneira errônea, como um grande safári em meio aos problemas do continente.

Contudo, a Copa do Mundo de 2010 promete mostrar o “outro lado” da África, enaltecendo a diversidade étnica, as riquezas naturais e principalmente, exibindo a nova infraestrutura preparada para a recepção do evento, seja nos estádios, meios de transportes, lojas ou hotéis.

Vídeo oficial da Copa do Mundo com a parceria da cantora Shakira.

Dicas para visitar a África do Sul

Para os interessados a assistir os jogos de futebol da Copa, a South American Airways voa diariamente a Johannesburgo e a viagem dura em média, oito horas e meia. O país conta com ótimas alternativas de agências de viagem como a Agaxtur e a Air International. Após uma longa mudança estrutural para receber os turistas neste ano, a África do Sul conta com outros dois aeroportos internacionais, frotas de táxis, companhias de ônibus e trem. Para quem preferir alugar um carro, a habilitação brasileira é válida no país por um mês.

A diversidade de hospedagens agrada desde quem procura por luxo em hotéis cinco estrelas até fazendas, albergues e campings.

A moeda nacional atualmente equivale a R$1,00 para R 4,40 (rand). Além do dinheiro vivo, cartões de crédito internacionais são aceitos nas grandes cidades e áreas turísticas (exceto para combustível). Nas compras, estrangeiros tem direito ao reembolso do imposto sobre valor agregado (apenas acima de R 250 e com apresentação de nota, passaporte, formulário de reembolso e a mercadoria). As operadoras de turismo credenciadas vendem pacotes especiais para a Copa ou somente os ingressos dos jogos, também vendidos no site da Fifa ou nas bilheterias dos estádios a partir do mês de Abril.

O brasileiro não precisa de visto para permanência até 90 dias. No entanto, algumas precauções na área da saúde devem ser tomadas antes da visita, como a vacina contra a febre amarela (obrigatória). Recomenda-se também uso de repelentes contra insetos transmissores da malária e da dengue, tendo em vista a grande incidência dos mosquitos.

Para ligar para o Brasil a cobrar, o número da Embratel é 0800-990055.

Agora para quem não poder acompanhar os jogos de perto, resta esperar a contagem regressiva para o início da Copa e torcer muito pelo hexa!

Zakumi, o mascote oficial da Copa do Mundo de 2010.

Um Guia Básico para o Mochileiro (dessa e de outras galáxias)

Por Luciana Fadon

Planejar bem uma viagem é o primeiro passo para garantir que ela seja inesquecível. O problema é que a maioria das pessoas acaba não fazendo esse planejamento – ou o faz de maneira superficial – e acaba tendo desagradáveis surpresas na hora da viagem. Para evitar roubadas, esquecimentos e arrependimentos, há alguns passos simples para nos ajudar a ter o merecido descanso sem esquentar a cabeça.

verão

Planejar bem sua viagem é garantia de menor stress...

Antes de escolher um lugar para onde ir, pense se há dinheiro o suficiente para tal viagem: alguns lugares são caros e outros, mesmo baratos, acabam ficando salgados devido a passagens aéreas e gastos extras com comidas, lembrancinhas, etc. Escolha um lugar que encaixe no seu orçamento e que lhe interesse. E não se esqueça de prestar atenção no clima. Mesmo sem um previsão do tempo definida para a data de sua viagem, saiba de antemão como é o clima em geral para a época da sua viagem. Ou você pode correr o risco de passar aquela semana na praia olhando a chuva cair enquanto joga baralho. E por último, procure saber sobre possíveis eventos durante sua estadia no local. Convenções internacionais, eventos esportivos e grandes reuniões políticas, além de lotar os hotéis e hosteis das cidades, acabam alterando a rotina da cidade e, por conseguinte, a dos turistas. A melhor maneira de saber sobre tais eventos e um pouco mais sobre os lugares que pretende visitar é acessando os sites desses lugares.

Como ir e onde ficar? Agora com um destino escolhido e uma data em mente é hora de decidir como ir e onde ficar. Pesquise que meio de transporte vale mais a pena de acordo com o lugar onde você está viajando. Para distancias curtas, carro ou ônibus. Para lugares mais distantes, além dos dois já citados, há trens, aviões e navios. É importante prestar atenção no custo benefício, que muda de lugar para lugar. Por exemplo: nos Estados Unidos, alugar um carro e pagar a gasolina pode sair muito mais barato que pegar um ônibus ou avião, enquanto na Europa, os meios de transporte mais utilizados pelos turistas são os trens e aviões. Para fazer reservas, procure um agente de viagens ou faça tudo pessoalmente pela internet. Há uma infinidade de sites para aluguel de carros e reserva de passagens de trens – principalmente na Europa. Para as passagens aéreas, utilize sites que procuram as melhores passagens de acordo com seus próprios critérios, como a SkyScanner, a CheapFlights e a eDreams.

Após ter verificado as passagens, é hora de achar um lugar para se hospedar. As opções variam desde grandes hotéis de luxo, passando por confortáveis albergues e até um sofá na casa de um desconhecido. Para os hotéis, pode-se acessar diretamente os sites dos hotéis ou fazer a procura em sites como o Hotels.com e o TripAdvisor. Quem estiver procurando opções mais baratas, como os albergues há também diversos sites com dicas, fotos e indicações, como o Hostels.com e o HostelWorld. Uma terceira opção é o couch surfing, um divertido sistema no qual você ficar hospedado – e depois também pode hospedar – na casa de alguém que oferece um espaço para passar a noite, seja uma cama ou um sofá.

É importante não comprar passagem alguma antes de verificar o lugar onde vai ficar e vice versa. Ou você pode acabar com caras passagens aéreas na mão e não ter lugar para se hospedar ou fechar a reserva de um hotel sem ter como chegar até ele.

Esses podem parecer passos simples, mas que, se seguidos, podem evitar muita dor de cabeça na hora de viajar. Para completar, não se esqueça de levar um bom guia de viagens, um protetor solar e muito bom humor para enfrentar todos os tipos de situação!

Clima e Trabalho levam brasileiros à Austrália

Por Marcela Soutto Mayor

Cada vez mais jovens se arriscam a começar uma vida nova fora do Brasil pelas oportunidades de emprego que os países de primeiro mundo oferecem. A procura é sempre maior por países que têm a língua inglesa como a oficial, mas, entre eles, a Austrália se destaca e é o principal destino de brasileiros.

Lá, o clima é parecido com o daqui, o que conta muito na hora de se decidir, já que Londres –  que também oferece oportunidades de melhoria de vida – tem o clima muito diferente e inverno muito rígido. Além disso, oferece uma segurança de primeiro mundo que o nosso país ainda está longe de chegar perto, e de qualidade igual à da capital inglesa.

Recém-formados no Brasil saem logo depois de concluir o curso para tentar empregos melhores no exterior, que por aqui são muito raros e exigem muito esforço e tempo para alcançar, sem contar que o tempo de trabalho lá é menor do que aqui, pagando igual ou mais e dando mais espaço para o lazer.

 

Sydney, a cidade mais populosa da Austrália

Obviamente, quem tem inglês e diploma tem mais chances de se dar melhor, mas, por exemplo em Sydney, uma das cidades australianas mais procuradas, a diferença salarial de um garçom ou eletricista para alguém que trabalha em um escritório é pouca, realidade que é bem diferente da brasileira.

Mesmo com todas as facilidades que a Austrália oferece, existe também o lado ruim, que é a distância entre os dois países, e os amigos e a família, que ficam longe a maior parte do ano. Mas o problema é driblado pela grande quantidade de brasileiros no país, que costumam formar uma “família”  por lá e cultivar os hábitos típicos, como churrasco e samba, enquanto não conseguem voltar para matar a saudade dos costumes e das pessoas próximas.

Muitos deles pretendem voltar ao Brasil algum dia, mas só depois de se tornarem residentes na Austrália, para ter a segurança de, caso a volta não ter sucesso, poder retornar à “Terra Lá Embaixo”.

 

 

Viagem e Esporte

Por Marcela Soutto Mayor

A corrida de rua conquista cada vez mais adeptos pelo Brasil e pelo mundo. Com o aumento de participantes nas provas amadoras, as empresas de viagem têm investido no esporte com pacotes para os corredores terem a oportunidade de disputar famosos circuitos que não acontecem em sua cidade natal, e às vezes nem em seu país. Com isso, eles unem a cultura que as viagens podem trazer, conhecem costumes e locais novos e ao mesmo tempo praticam a atividade física em corridas que antes somente profissionais tinham a oportunidade de participar.

Maratona de Paris do ano de 2009

Maratona de Paris do ano de 2009

Em março deste ano, a TAM se transformou na patrocinadora oficial dos dois mais importantes circuitos de rua do nosso país: o Circuito das Estações e o Circuito Vênus. Estes passam pelas principais capitais do Brasil, como São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte e Porto Alegre, e a empresa tem pacotes para todas as etapas da prova e ainda dá diárias de hoteis de presente para os vencedores da etapa anterior.

Sites e revistas especializados no assunto também incentivam os corredores amadores a viajar para praticar o esporte e têm pacotes para as principais competições do mundo. Revista O2 Por Minuto, por exemplo, tem no seu portal da internet diversas opções de turismo/corrida, entre elas importantes maratonas como a de Paris, a da Disney e a de São Silvestre, que é realizada em São Paulo. Em todos os pacotes estão inclusos voos fretados apenas para os participantes, hoteis, inscrições na corrida e traslados entre o local da prova e o da hospedagem.

Amigo de Aluguel

Por Júlio Rosa

Cansado de viajar e não importa para onde você vá sempre se deparar com aqueles roteiros turísticos que só passam por museus e pontos históricos? Através do site “rent a local friend” você pode “alugar” um amigo nativo de seu destino que tenha os mesmos gostos que você e assim te levará a lugares que realmente vão te interessar.

Para conseguir um guia pessoal é necessário se cadastrar no site e colocar seus interesses. O problema é que esses amigos não são baratos de alugar, um amigo francês, por exemplo, custa oitenta euros a cada quatro horas.

Quem preferir viajar sozinho pode adquirir simplesmente um booklet personalizado, um livro com um roteiro personalizado para sua viagem.

Quem preferir viajar sozinho pode adquirir simplesmente um booklet personalizado, um livro com um roteiro personalizado para sua viagem.

Através do site você pode conseguir amigos no Brasil, Estados Unidos, Reino Unido, Portugal, França, China e Índia.

Cidades já disponíveis para se alugar um amigo.

Cidades já disponíveis para se alugar um amigo.

Kiruna: turísmo abaixo de zero

Por Luciana Fadon

Cabelos e cílios congelados, incontáveis camadas de roupas e apenas três horas de sol por dia. Localizada na região da Lapônia Sueca, a pequena cidade de Kiruna é um destino inusitado, mas muito apreciado pelos amantes do frio. Com seu clima polar, Kiruna recebe a maioria de seus visitantes entre os meses de setembro e novembro, e janeiro e março, quando as chances de presenciar a aurora boreal são maiores.

Cães puxando trenó sob o sol do inverno ártico

Cães puxando trenó sob o sol do inverno ártico

A cidade foi fundada numa tradicional área do povo Sami, entre as montanhas de Kirunavaara e Luossavaara e o lago Luossajärvi. O desenvolvimento veio com a descoberta de minério de ferro nas montanhas e terrenos ao seu redor. A construção de uma ferrovia que ligava a região com o sul da Suécia acarretou em um boom populacional. A mineração desenfreada e a migração em grande escala trouxeram graves conseqüências para a população local e para o meio-ambiente. Desde 2004 o centro da cidade está sendo realocado para uma área próxima devido à erosão causada pela mineração.

Entretanto, os amantes do frio – e mesmo os não tão afeitos a ele – não devem  se deixar levar por esse prognóstico desolador, afinal, a região de Kiruna tem muito a oferecer. Desde atividades de inverno clássicas como esquiar, patinar e montar bonecos de neve até os inusitados passeios de trenó com huskies, corridas com snowmobile e safari de renas são opções oferecidas paras os turistas que não têm medo de enfrentar as temperaturas que podem chegar a -25ºc.

O bar do IceHotel serve seus drinks em divertidos e escorregadios copos de gelo.

O bar do IceHotel serve seus drinks em divertidos e escorregadios copos de gelo.

Além dos passeios já citados, os turistas podem visitar a mina de ferro que é símbolo da cidade, conhecer  um pouco mais da cultura Sami, participando de caçadas e pescas de salmão e nadar em buracos abertos nas águas congeladas depois de alguns minutos numa sauna quente. Há um outro famoso atrativo nos arredores de Kiruna, na vila de Jukkasjärvi: o IceHotel, um hotel feito inteiramente de gelo, construído todo ano com uma temática diferente durante o mês de outubro e derretido naturalmente entre os meses de abril e maio. Nele, o maior do gênero no mundo, os hóspedes podem escolher entre ficar nos quartos normais ou nas suítes de gelo por uma noite, tendo apenas como cobertor uma camada de pele de rena.

Kiruna definitivamente é o lugar ideal para os fãs das baixas temperaturas e das belezas naturais, além de ser um dos melhores pontos na Europa para observar a aurora boreal.

– Quando ir: entre os equinócios de outono e primavera, quando há maior possibilidade de visualizar a aurora boreal.

– Não sair de casa sem: roupas especiais para temperaturas polares; roupa de banho para os mais corajosos que quiserem dar uma mergulhada nos lagos gélidos.

– Vale a pena experimentar: iguarias da região como carne de rena, o conforto das tendas Sami e as vestimentas locais – quentes e diferentes.

– Sites úteis: Kiruna Municipality, IceHotel